16/06/2009

Atirando artigos em vocês (ou: Coisas que eu estou lendo agora)

Do Anything, do Warren Ellis
Que é uma série de artigos basicamente sobre quadrinhso, cultura pop e a cabeça reanimada do Jack Kirby. Já está no número 3, mas tenho certeza que meus leitores são todos capazes de clicar no site até achar os outros artigos.

ubergrid
Eu provavelmente não deveria seguir mais outro dos métodos do Warren Ellis dominar a internet, mas eu não consigo evitar. Ler as postagens dele no tumbler parecem tanto com um tipo de arqueologia do processo criativo. É claro, eu não posso garantir que isso vá ser interessante para qualquer outra pessoa.

Por sinal, o tumbler é bem interessante, mesmo que eu não tenha a inclinação (ou talvez devesse dizer memória) para manter um caderno de anotações/album de coisas legais online. A única coisa bizarra é a tal tumblarity. Odeio serviços-tamagotchi (tipo o plurk, que, por causa do sistema de popularidade, só serve para gerar ruído que será preservado por tempo indefinido na internet. Não esperem que eu aceite convite para qualquer serviço que a maior parte dos usuários só usa para avisar o mundo que está no banheiro).

Mini-contos do Neil Gaiman sobre seres mitológicos britânicos. Por sinal, esses mini-contos foram feitos para acompanhar os selos desenhados pelo Dave McKean.

Um belo artigo sobre fotografia (manual, em câmeras de verdade) que fala sobre foco. Eu nunca me dei muito bem com foco.

Ah, sim, e mais um pouco da mente do Warren Ellis, dessa vez sobre o processo dele para criar roteiros. Com o bônus-extra-especial de que o pedaço de roteiro mostrado é do Fell #10. Yay para a sobrevivência de séries de quadrinhos legais (eu jurava que Fell já tinha ido pra banha, como o Desolation Jones (que, talvez, eu fosse a única pessoa que realmente gostava).

De qualquer maneira, o meu processo é bem parecido com isso. Com resultados definitivamente piores, claro, mas parecido. Uma coisa que me ajuda é desligar a maldita verificação ortográfica. Outra coisa é usar um daqueles editores/organizadores, que separam o texto em cenas e capítulos, contam palavras pro cena, marcam os personagens que aparecem na cena/capítulo... Tipo o yWriter, mas devem existir outros. Eu é que não conhecia essa maravilha da tecnologia.

Um dos problemas mais graves para quem está tentando escrever qualquer coisa, mesmo texto científico, é ficar duvidando do que escreve. Da minha pouca experiência, posso dizer que a melhor coisa é realmente deixar que as coisas se resolvam na edição. Na hora de escrever, escreva. Se for extremamente necessário, faça um arquivo (um txt, de preferência) com os detalhes, pesquisa, cenas ou descrições que faltam. Não tem porque ficar duvidando de algo e interromper o fluxo de escrita. Fluxo é uma coisa difícil de gerar, quando surgir, aproveite.

Por sinal, hora de escrever um pouco. Deixei meus personagens em uma poça de sangue, acho que está na hora de tirar eles de lá. Até mais!

3 comentários:

  1. Sem duvidas Warren Ellis é um dos meus roteiristas preferidos, mais infelizmente li pouca coisa dele, mais o que eu li me surpreendeu bastante, o mais incrível é que ele consegue ser ótimo em todas as areas dos quadrinhos, HQs sérias com um clima noturno até HQs cômicas

    ResponderExcluir
  2. Os selos sao as coisas mais preciosas do mundo. Ok, nao quero ser etnocentrico, mesmo pq nem estou falando da minha propria cultura...


    Mas...

    Sera que eh possivel comparar Saci com Pixies e Unicornios?? Eu acho que nao... :P (para deixar claro, prefiro toda vida Pixies à sacis)

    ResponderExcluir
  3. Eu não tenho preconceitos mitológicos. E acho Curupira muito mais foda do que outros seres da floresta ;P

    Mas é claro que os selos são algo de fantástico. Arte linda é arte linda ^__~.

    ResponderExcluir

Comentários são apreciados. Spam é punida com a morte.